Curta a página do QLA no Facebook

21 de dez de 2013

Refletindo Jesus na mansidão de sua natureza


diminua-para-que-jesus-crescaOlá Brasil! Olá nações da terra!
Graça e paz a todos vocês que amam a esse lindo Deus e a sua santa palavra, e que sempre me dão a graça de suas visitas e comentários! Muito Obrigado!
Quero agradecer a todo o Brasil, a cada região, a cada estado, cada cidade, que visita a este blog, quer seja por indicação, quer seja por alguma imagem, a procura de algum tema ou base para mensagens, amigos da UBE, ou por simplesmente gostar do QLA....OBRIGADO! Fique a vontade a casa é do Pai, é dos filhos também! Agradeço também a todas as pessoas de outros países que são marcas carimbadas no QLA, como Portugal, EUA, Alemanha, Rússia, Japão, Moçambique e outros países que nos visitam! A casa é do Pai é de todos nós. Estarei sempre buscando melhorar o QLA a cada dia para que vocês sejam honrados, e edificados na palavra do mestre!

Bem, hoje quero compartilhar com você, um texto que me impactou poderosamente, e que com certeza acrescentou muito a mim sobre meu ministério. É um texto riquíssimo em detalhes de Thiago Pires, do blog ministerioentrejovens.wordpress.com sobre abrir mão dos seus direitos para que pessoas cheguem a Cristo através da tua vida.
Leia o texto com atenção e abra os olhos para uma visão que precisa ser enxergada mais vezes em nosso meio - A visão de Cristo como protagonista do evangelho -  e não os homens. Como Cristo no centro da sua igreja, da sua pregação, e não o homem querendo se vangloriar do evangelho de Cristo. 'Que eu venha a diminuir para que o Senhor Jesus cresça em mim!
           Creio que um dos maiores desafios para nós enquanto cristãos é nos parecemos com Jesus. Já cantei muitas canções como “… quero ser igual a Jesus, caminhar seguro na luz”, “… Espírito Santo de Deus vem controlar todo o meu ser, vem dirigir o meu viver”, mas parece que nos últimos dias esse desafio tem se tornado mais real na minha vida e na nossa vida enquanto jovens que têm o propósito de ser agentes do Reino de Deus neste mundo.
Em um dia de Retiro, ministrei uma palavra que exaltava Jesus como o Cordeiro de Deus. Isaías 53 diz que Jesus seria entregue à morte como um cordeiro mudo, sem abrir a boca, e a Palavra se cumpriu nos evangelhos. Em outras passagens vemos um Jesus que estava disposto a servir, que abria mão de seus direitos em favor de pessoas que sequer mereciam sua atenção e seu amor. Um Jesus que tinha um coração manso, que jamais usou sua autoridade e poder para intervir nos propósitos de Deus para a humanidade.

          E para falar de coração manso, eu convido você a abrir sua Bíblia em 2 Reis 5.1-19. Essa história é bem conhecida. Diante de tantas coisas que já lemos sobre Naamã, sobre Eliseu, eu gostaria que você atentasse para a menina sem nome. A anônima da qual Deus se reservou o direito de não registrar o nome nas escrituras – talvez para que eu e você nos identificássemos ainda mais com ela. Uma menina que foi retirada de sua terra para se tornar escrava em uma terra desconhecida. Uma menina que possivelmente viu seus pais e toda a sua família serem mortos em uma batalha cruel. Alguém que talvez tenha visto sua casa ser queimada injustamente. Uma menina que foi exposta a uma situação de dor, sofrimento e perdas irreparáveis. Essa menina tinha todas as razões do mundo para se tornar uma pessoa amargurada, ferida, vingativa e depressiva. No entanto, ao analisar as escrituras, observamos que ela não era assim, pois ela tinha um coração manso!

          E o que significa ter um coração manso? Será que manso é aquela pessoa que fala baixinho, pisa devagar e engole sapos? Não. Eu aprendi que manso é aquele que abre mão do que não pode segurar, para segurar o que não pode perder. Como assim? Eu posso ser um excelente empregado, mas eu não posso segurar meu emprego. Posso ser um excelente pai, marido, mas não posso segurar o meu casamento. Posso cuidar do meu corpo, mas não posso segurar a minha saúde. Posso ser um excelente amigo, mas não posso segurar a amizade de ninguém. Ou seja, um coração manso entende que o controle não está em suas mãos. Por isso eu abro mão dos meus direitos. Diante das circunstâncias, eu abro mão das críticas, abro mão da vingança, abro mão do orgulho, abro mão dos meus conceitos para segurar aquilo que eu realmente não posso perder. E o que a gente não pode perder? Não podemos perder o amor, a fé, a comunhão, o perdão, e tantas outras preciosidades na nossa vida! Muitas vezes posso me ver injustiçado, tentado a rebater com críticas e palavras ferinas. Eu tenho motivos e razões para isso! Mas um coração manso abre mão dessas coisas para segurar a comunhão, a paz. Você compreende?

          Essa menina havia perdido seu futuro, sua família, sua paz, sua liberdade, seus sonhos. Ela tinha todas as razões do mundo para ser amarga e pagar com a mesma moeda tudo o que havia sofrido. Mas ela tinha um coração manso, um coração curado. Como lemos, a menina se tornou escrava da mulher de Naamã (o responsável pela batalha que destruiu sua terra), e este general sofria de lepra. Imagino que ao perceber a dor daquela família em conviver com um problema tão sério, a menina não se conteve em abençoá-los. Ela poderia ter desejado a morte de Naamã, ‘ela tinha esse direito’. Mas lemos na palavra uma menina que abriu mão de seus direitos e ofereceu uma oportunidade de cura e salvação para aquele general. Naamã vai a Israel e ali, através do profeta Eliseu, é curado! Por meio disso, observamos um Naamã que antes vivia uma vida de idolatria, alguém que não servia ao Deus de Israel, declarar: “Agora sei que não há Deus em nenhum outro lugar, senão em Israel”. Por causa da atitude de uma menina, toda a Síria testemunhou sobre a existência de um Deus vivo e verdadeiro!

       Sabe, muitas vezes reagimos como leões diante de situações que nos ferem. Somos crentes até que pisem no nosso calo. Agimos contrários à Palavra em Tiago 1.19 que diz: “(…) Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se”. Somos ousados e destemidos para ferirmos o outro e para estabelecermos vingança segundo nossa própria justiça. Olhamos para aquilo que sofremos e não abrimos mãos dos nossos direitos enquanto “vítimas” das situações. Focamos no nosso “EU” e, bravamente, nos lançamos contra as pessoas. Por outro lado, é curioso pensar que são essas mesmas pessoas que vivem suas vidas a margem dos planos e propósitos que Deus tem para suas vidas. Quanto mais buscam seus próprios interesses, mais distantes se encontram da vida plena que Deus tem para dar a cada um dos seus filhos. Quanto mais têm sede de vingança, mais feridos se tornam. Daí observamos pessoas frias, sem autoridade espiritual, insensíveis e incapazes de refletir Jesus nas suas palavras e atitudes.

       Há uma convocação urgente para que o povo que se diz “povo de Deus” reflita a imagem de Jesus Cristo através das suas vidas! Cordeiros que possuam um coração manso, que abram mão do que não podem segurar, para segurarem o que não podem perder. O Cordeiro de Deus foi o mesmo que recebeu autoridade de Leão da Tribo de Judá, para nos tornar livres do domínio do pecado. Aquele homem que se calou, que serviu, que amou, é o mesmo que hoje têm autoridade para salvar e transformar a vida do pecador! E, da mesma forma, Deus tem promessas para aqueles que sofrem perseguições, para os que sofrem, para os que são caluniados e injustiçados por causa do Senhor. Deus é o justo juiz que toma para si as nossas causas e nos dá a vitória. É preciso entender isso para que possamos agir como aquela menina e sermos agentes de cura e salvação para os que nos cercam. Abra mão de você mesmo e dos seus direitos para ser como Jesus. Esse mundo já está farto de vingança, maldade, destruição, “olho por olho, dente por dente”. Esse mundo carece de amor e a própria palavra de Deus nos diz que o mundo nos reconheceria por causa desse amor.

        Você está disposto a ter um coração manso? Está disposto a abrir mão dos seus direitos? Está disposto a se calar e aguardar a salvação do Senhor? Está disposto a ser como Jesus em suas atitudes, gestos e pensamentos?

       Ensina-nos a sermos assim, Senhor. Que as pessoas enxerguem o Senhor através de nós. Thiago Pires

     Para refletirmos a glória Daquele que nos chamou precisamos deixar Ele trabalhar e moldar o nosso caráter! Comece por hoje, deixando aquilo que seria um obstáculo para você percorrer o caminho que te leva à mudança em Cristo. [Pense nisso com carinho].

Abrindo mão de minha glória para que o mundo o reconheça,
Em Cristo, Danilo Dias.
Postar um comentário

Deixe o seu comentário